Quais os melhores indicadores para opções binárias

Quais os melhores indicadores para opções binárias.


No mercado atual existem centenas ou até talvez milhares de soluções ERP disponíveis. Elas normalmente se enquadram em diferentes tipos de ERP que determinam se serão adequadas ou não para cada tipo de negócio.


Aqui estão algumas das categorias dos ERPs mais usados:


ERP Desktop (também chamado de ERP Legado)


Vamos começar com os sistemas mais clássicos, os chamados ERP legados. Esses sistemas foram desenvolvidos antes da popularização da internet e precisam ser instalados em cada computador que desejar ter acesso ao software.


Apesar de muitas vezes possuírem décadas de desenvolvimento e bastante funcionalidades, esse tipo de sistema acabou ficando ultrapassado em um mundo cada vez mais conectado e com pessoas trabalhando remotamente em diferentes dispositivos, como smartphones e tablets.


Com isso em mente e imaginando um futuro ainda mais na nuvem, esse tipo de ferramenta acaba não sendo recomendada para o longo prazo.


ERP com desenvolvimento próprio ou com microempresa regional.


Outro tipo de ERP é o sistema desenvolvido pela própria empresa contratante, ou seja, essa empresa recruta um ou mais programadores para criar um sistema próprio. Outra opção similar é quando essa empresa contrata um sistema feito por uma microempresa regional e pede para essa empresa customizar o sistema para suas necessidades.


Apesar de parecer uma boa ideia no início, já que a empresa terá uma solução completamente customizada, essa opção tende a se tornar uma grande dor de cabeça no futuro.


O primeiro ponto é que a empresa acaba reinventando a roda em muitos aspectos , ou seja, é investido recursos para criar funcionalidades já disponíveis em centenas de outros sistemas, como a geração de NF-e por exemplo; O segundo ponto é a dificuldade para parametrizar o sistema corretamente para operações mais complexas. Ou seja, a empresa contratante precisa estudar, e muito, as melhores práticas de gestão e também as regulamentações do governo para garantir que o sistema esteja otimizado e de acordo com a lei; O terceiro ponto é a dificuldade para manter o sistema atualizado. A legislação no Brasil muda frequentemente e para garantir que a sua empresa esteja de acordo com a lei é preciso que o sistema esteja sempre atualizado. O problema é que com um sistema próprio ou feito por uma empresa muito pequena há o risco do sistema ser descontinuado.


ERP em nuvem engessado.


Estes são sistemas ERP simplistas que buscam atender o maior número de empresas através de funcionalidades padronizadas e um preço bem barato, com alguns tendo a mensalidade a partir de R$19,90.


Esse tipo de sistema é interessante para empresas e microempreendedores que estão ainda bem no início de suas operações e não possuem condições de investir em um ERP especializado. Então eles contratam esses softwares para gerar notas fiscais e outras atividades importantes.


O problema aqui acontece quando a empresa cresce e precisa controlar processos mais complexos, como é o caso das indústrias, que precisam controlar estoque, produção, qualidade etc.


Como esses sistemas são padronizados e com preço barato, não permitem personalizações, por menor que sejam. Sendo assim, as empresas contratantes acabam mudando de sistema a medida que o negócio cresce.


ERP em nuvem especializado.


Nessa categoria estão os sistemas ERP em nuvem que são especialistas em determinados setores, como é o caso do Nomus ERP Industrial.


Esses sistemas possuem vantagem em relação ao ERP engessado pois possuem funcionalidades muito mais avançadas para aqueles setores que eles atendem, mantendo um investimento acessível a pequenas empresas. O Nomus ERP Industrial por exemplo, possui planos a partir de R$440 mensais.


Outra vantagem é que esses sistemas costumam ser abertos a customizações para abraçar processos mais complexos. Normalmente a empresa contrata horas de desenvolvimento e o fornecedor de ERP é capaz de adicionar novas funcionalidades ao sistema.


No geral essa é a solução custo-benefício para as pequenas e médias empresas, já que une funcionalidades avançadas e customizações à um investimento acessível.


A desvantagem desse tipo de sistema é que você precisa entender se ele realmente é capaz de atender o seu setor. Ou seja, você precisa procurar por um sistema que entenda do seu segmento. Então se a sua empresa for uma indústria, estaria bem atendida com o Nomus ERP Industrial, já se você tiver uma empresa de TI, provavelmente precisaria de outra solução.


Exemplo de painel de gestão no Nomus ERP Industrial.


ERP em nuvem de grande porte.


Aqui estão os grandes ERPs mundiais feitos para atender grandes empresas. Essas soluções são robustas e atualizadas, possuindo módulos e plugins para os mais diferentes processos e necessidades.


Quando a empresa alcança um tamanho de grande portes, com diversas filiais e milhares de processos diferentes, é preciso um sistema capaz de acompanhar toda essa demanda. E é isso que esses grandes players do mercado mundial são capazes de fazer.


O problema desse tipo de ferramenta é o custo e a complexidade de uso. Nós já vimos casos de multinacionais que precisavam atualizar a versão do ERP e o orçamento era na casa dos milhões de reais (considerando licença e treinamento).


Guia do ERP para gestores.


Se você deseja aprofundar ainda mais o seu conhecimento no mundo dos ERPs, recomendo que baixe o nosso Guia do ERP. Trata-se de um eBook gratuito abordando as principais dicas para escolher a ferramenta ideal para o seu negócio. Veja:


Acompanhe o Blog Industrial.


Agora que você já sabe mais sobre os principais tipos de ERP, recomendo que acompanhe a Nomus para receber dicas de gestão no seu email e também nas suas redes sociais favoritas. Veja onde acompanhar:


Lista de e-mails do blog Canal no YouTube Podcast Nomus Canal do Telegram Página no Instagram Página no Facebook Página no Linkedin Página no Twitter.

Opções binárias na Letônia